O site theguardian já assistiu à estreia de Everybody Wants Some!! e fizeram um pequeno review sobre o que podemos esperar do filme. Não deixem de conferir!

No Brasil, Everybody Wants Some!! estreia dia 15 de abril.

Review de Everybody Wants Some!! A nova comédia universitária de Richard Linklater é uma diversão contagiosa

“Esse é o melhor dia da minha vida – até amanhã,” diz McReynolds (Tyler Hoechlin), um dos jogadores de beisebol universitário que povoam Everybody Wants Some!! de Richard Linklater, adequadamente resumindo todo o clima de festa da comédia arruaceira.

Seguindo sua obra definidora Boyhood – Da Infância à Juventude, Linklater se libertou para entregar o seu mais prazeroso esforço desde Jovens, Loucos e Rebeldes (Dazed and Confused) de 1993. Convenientemente, ele anunciou o último como a “sequência espiritual” da clássica comédia colegial. Assistindo Everybody Wants Some!! fica claro o motivo.

Jovens, Loucos e Rebeldes, que se passa no final dos anos 70, é centrado em um grupo barulhento de adolescentes celebrando o seu último dia na escola. Acontecendo alguns anos depois na década de 80, Everybody Wants Some!! muda a ação para a semana antecedendo o primeiro dia na faculdade para Jake (Blake Jenner), um arremessador promissor começando o seu primeiro ano de faculdade em uma universidade no Texas.

Jake é provocado por ser do tipo quieto por Beverly (Zoey Deutch), uma estudante de arte visual que gosta do recém-chegado. O mesmo não pode ser dito do seu time, com os quais ele é forçado a morar.

Imediatamente após sua chegada na nova casa, ele é atormentado por McReynolds, um rebatedor que não consegue esconder seu desdém por arremessadores. Ele se sai melhor com os outros companheiros de casa. Entre eles estão Finn (Glen Powell de Scream Queens), que se dá bem com as mulheres ao dizer que tem um pênis maior que o normal, e Willoughby (Wyatt Russell), o maconheiro residente do grupo, que diz ao Finn para rejeitar e ser verdadeiro e “só ser estranho”.

Uma amável história romântica se desenvolve entre Jake e Beverly conforme o filme se desenvolve, mas fica em segundo plano para as várias travessuras que os garotos aprontam durante os seus poucos dias de liberdade absoluta. Indo contra as duas regras da casa colocadas por seu treinador (SEM bebidas, e SEM garotas no segundo andar), Jake e companhia optam por ir à loucura. Quando o grupo não está bebendo ou ficando alto em casa, eles estão na boate local marcando com as mulheres ou indo de penetra em outras festas.

Se os rapazes fossem insuportáveis misóginos idiotas, Everybody Wants Some!! teria uma audiência horrível. Felizmente todos eles

FONTE: THEGUARDIAN

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

Recentemente, o site Sports Illustrated escreveu um review a respeito do filme “Everybody Wants Some!!”, destacando os principais pontos do filme e fazendo uma ligação entre o roteiro da história e a vida do autor e direto Richard Linklater.

Confiram a matéria abaixo!

O mais novo filme de Richard Linklater, Everybody Wants Some!!, que descreve um time de beisebol universitário na era do sexo, drogas e rock’n’roll de 1980, tem a sua estreia mundial esta noite ao dar o pontapé inicial no festival de cinema SXSW em Austin.

Anunciado como a “sequência espiritual” de Dazed and the Confused, que se passa em 1976, o filme não desaponta os fãs do clássico cult de 1993 de Linklater. As semelhanças estão em todos os lugares, desde outra trilha sonora nostálgica de matar, até elenco estelar de virtualmente desconhecidos (Glenn Powell no papel de Finnegan, o mulherengo super-sênior do time, é o novo Matthew McConaughey em seu papel como Wooderson em Dazed).

E não é coincidência que os protagonistas dos dois filmes são arremessadores. Mitch Kramer (Wiley Wiggins) – que nós vimos pela última vez reclinado em sua cama ouvindo “Slow Ride” do Foghat em Dazed e Jake Bradford (Blake Jenner) que dirige pela rua atrás do volante de um Oldsmobile Cutlass 72 azul bebê com a melodia de “My Sharona” do The Knack na abertura de Everybody – são basicamente a mesma pessoa.

“Quatro anos depois, esse é o Mitch,” Linklater confirma.

Mas mais do que qualquer coisa, Everybody Wants Some!! é um tributo aos dias de jogador do próprio Linklater. Em seu último ano no ensino médio, ele se mudou para Houston para morar com o seu pai para que ele pudesse jogar por Ray Knoblauch da Bellaire Hight (pai do futuro jogador da grande liga, Chuck).

Em uma interbases, ele quase quebrou o recorde da escola para bases roubadas em uma única temporada até que Knoblauch parou de dar a ele o sinal de “prossiga”, Michael Cavna do The Washington Post escreveu uma matéria detalhando a infância real de Linklater como a base para o seu filme vencedor do Oscar de melhor filme de 2014, Boyhood. “Eu queria me exibir para os olheiros, rebater mais para fora ao invés de bater com menos força,” Linklater disse ao The Post, “mas eu estava disposto a cumprir o meu papel.”

A sua velocidade na basepath era boa o suficiente para ganhar uma bolsa de estudos para jogar na Sam Houston State em Huntsville, no Texas, onde ele jogou uma temporada como calouro no mesmo ano que se passa o filme.

Linklater introduziu o filme para uma audiência bem eclética de galãs (Ethan Hawke, Parker Posey, Danny DeVito, Willem Defoe, Neil DeGrasse Tyson, Ira Glass) em uma exibição em Nova York no começo dessa semana. “Para todos vocês que são jovens demais para se lembrar, 1980 foi uma época divertida para se estar na faculdade,” ele disse.

O filme acerta a moda da época com camisetas ringer, blusas poli, shorts jeans, meias listradas, óculos aviador e bigodes suficientes para rivalizar a escalação num jogo de Guess Who?

E os pequenos detalhes do dia-a-dia de um atleta de elite vivendo junto com seus colegas de time soam verdadeiros também. Tapas na bunda como cumprimentos, pegadinhas de vestiário, trote dos calouros e intensas competição em todas as menores atividades – de basquete de Nerf até pingue-pongue até flicking knuckles e até praticando rebatidas no quintal com um machado – permeiam o filme.

É essa constante competição que é o coração da história de esporte que ele queria contar, Linklater diz.

“Esse é um time que quer ganhar um campeonato nacional,” ele diz. “Eu joguei em um time como esse – nós estamos em 50º lugar nacional no meu ano de calouro e nós tínhamos essa mentalidade, que se nós chegamos no oitavo tuno, no nono turno, que ‘Não, nós somos bons, nós vamos achar um jeito de vencer.’”

Em uma cena, Jake, que acabou de se mudar para a casa do beisebol no início do seu primeiro ano, pergunta ao veterano do time, Finnegan, sobre a constante brincadeira entre os rapazes do time.

Jake: “Você notou que TUDO é uma competição por aqui?”

Finnegan: “Mas você pode dizer muito sobre uma pessoa nessas pequenas competições estúpidas. Algo sempre é revelado. Você é um competidor, um jogador, você consegue achar uma maneira de vencer todos os obstáculos e praticamente se obrigar a ganhar? Ou você é… Um perdedor.”

“É um modo único de olhar para a mentalidade super confiante dos atletas universitários,” diz Linklater. “A hora que você entra na faculdade, você é muito confiante, arrogante, cheio de si. Você acha que você é fodão.”

Mas quando você tem que encarar a realidade de que todos os seus companheiros de time tem um motivo para serem arrogantes também – todos eles eram os melhores em seus respectivos grupos na escola como você era e todos tem o sonho de ser profissional também.

“E você ainda está morando com eles,” diz Linklater. “No primeiro ano da faculdade eu meio que cheguei valsando como todo mundo, mas tive um ano que me deixou mais humilde.”

É um terreno fértil para competição dentro do time e criação de laços intensos. Linklater ainda mantém contato com os seus colegas de time da faculdade, muitos dos quais estiveram no set durante a filmagem e estarão presentes em um tipo de reunião de exibição quando o filme estrear essa noite.

“Quando você é um time, você praticamente vive junto. Vocês se importam um com os outros. Você gosta de algumas pessoas mais do que de outras, mas você aceita todo mundo. Vocês são um pelotão,” ele disse ao Texas Monthly em 2005.

Os personagens do time da fictícia Universidade do Sudeste do Texas em Everybody Wants Some são uma amável composição daqueles companheiros de time, mas pelo menos dois personagens foram diretamente inspirados em pessoas específicas, diz Linklater.

McReynolds, o macho alfa do time que não suporta perder, foi moldado em Glenn Wilson, que foi recrutado como um sênior na Sam Houston State no primeiro round de recrutamento do Detroit Tigers em 1980 e seguiu para uma carreira de 10 anos na Liga Principal. Em uma cena, o ultra-competitivo McReynolds (interpretado por Tyler Hoechlin à perfeição de vilão-embigodado) faz birra depois de ser derrotado em um jogo de pingue-pongue, destruindo sua raquete num surto de raiva.

“Quando eu derrotei (Wilson) no pingue-pongue, ele realmente jogou a raquete em mim,” Linklater diz. “Isso realmente aconteceu.”

Mas isso era parte do que fazia jogadores como Wilson serem bons, diz Linklater. “Qualquer atleta de nível internacional tem um pouco de psicopatia,” ele sorri.

Outro personagem (que não será nomeado para evitar spoilers) foi desenhado a partir de um dos companheiros de Linklater no Bearkats também. “Nós tivemos um arremessador que pediu transferência da Washington State,” ele diz. “Ele teve um bom ano, foi 8-2, mas ele era mais maduro – ele lia o Diário de Wall Street, bebia café, jogava gamão.”

Anos mais tarde caiu a ficha de Linklater de que o cara talvez tivesse muito mais que os 20 e poucos anos que ele dizia e muito além da elegibilidade. Em um tempo anterior aos registros eletrônicos, você podia se safar de algo assim.

Linklater parece um pouco melancólico que seus dias como jogador na universidade não duraram mais – ele estava começando como jogador de campo esquerdo e terceiro rebatedor no seu segundo ano quando os médicos descobriram que ele tinha fibrilação atrial depois que ele se sentiu tonto e com vertigem várias vezes.

Mas a história tem um final feliz. Se Richard Linklater, o atleta, não tivesse que pendurar as chuteiras, talvez nós nunca tivéssemos Richard Linklater, o escritor e diretor ganhador de Oscar. “Nessa época eu já estava cursando uma aula de dramaturgia,” diz Linklater.

Ele poderia não saber naquela época, mas ele ia chegar até as grandes ligas, no final das contas.

FONTE: SI.COM

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

Na noite do dia 11 de abril, aconteceu a estreia de ” Everybody Wants Some!!” no  Texas. A exibição aconteceu no Paramount Theatre e contou com a presença de alguns membros do elenco e de importantes jornalistas. Abaixo, temos a tradução da matéria que saiu no Deadline a respeito da estreia. Não deixem de conferir!

No brasil, o filme estreia dia 15 de abril de 2016.

A multidão cheia de Austinianos no Paramount Theatre da cidade absolutamente amou “Everybody Wants Some!!”, o filme mais recente de Richard Linklater que é para o Texas de 1980 o que o seu antigo Jovens, Loucos e Rebeldes (Dazed and Confused) foi para o Texas em 1976. Eles riram tão alto das piadas que o diálogo seguinte foi obscurecido, bateram palmas imediatamente depois de algumas cenas e, pelo menos perto de onde eu estava sentado, praticamente interagiram com ele no estilo Rocky-Horror em algumas partes. Eu não tenho a menor ideia se Everybody Wants Some irá ocupar o seu lugar ao lado de Jovens, Loucos e Rebeldes  como um influente clássico cult e criador de carreiras para o seu elenco, mas com certeza se filmes americanos só fossem exibidos para a audiência Texana, Everybody iria limpar a temporada de premiações e seria exigido vê-lo para qualquer um emigrante para o Texas que queira entender a mentalidade “Mantendo Austin Estranha”.

Acompanhando o primeiro final de semana de faculdade de um grupo de jogadores de beisebol novatos conforme eles se integram ao time, Everybody Wants Some apresenta uma visão deliberadamente filtrada pela nostalgia da era em que os personagens passam essencialmente três dias bebendo, farreando, falando constantes gracejos e vagando de festa a festa. Isso explica em parte porque a estreia mundial que começou o SXSW 2016 nomeou Linklater como o Rei do Baile. A outra parte, é claro, é que esse é o aniversário de 30 anos do festival no geral e 23º aniversário da porção de filmes, e Linklater é amplamente creditado pelos locais como a razão pela cena cinematográfica de Austin existir. Como tal, a estreia foi precedida por uma apresentação pelo co-fundador do SXSW Louis Black que fez uma homenagem a sua longa afiliação com a cidade e, especialmente, sua decisão de permanecer lá depois da sua descoberta, com Slacker, ao invés de se mudar para Los Angeles. Linklater retribuiu as simpáticas palavras com as suas próprias para o festival e para os seus amigos o dirigindo antes de trazer o elenco para uma rápida introdução antes do filme começar.

Depois que terminou sob uma salva de palmas durante os créditos finais mostrando o elenco principal fazendo rap sobre os seus personagens ao estilo de “Rapper’s Delight”, Linklater e o elenco voltaram para uma sessão de perguntas e respostas com a audiência que, mantendo o clima da noite, foi como velhos amigos brincando um com o outro tomando alguma coisa (particularmente porque Linklater usou uma camisa de botões azul e branca muito Texana). Nada muito além do que já foi divulgado veio como resultado. O discutível momento de destaque aconteceu quando Zoey Deutch lidou muito bem com a situação quando um esquisito, mas (provavelmente) bem-intencionado aluno do último ano do colegial chamou ela para o baile. “Sim,” ela disse, “mas eu não estou usando salto.” Eu duvido que ela realmente vá e ela não deveria ter que responder isso – sério, pessoas, parem de usar sessões de perguntas e respostas para perguntar coisas pessoais – mas acabou adicionando um pouco de charme ao processo.

Alguns dos destaques:

  • A maioria do elenco do filme é nativo do Texas.
  • A estrela Blake Jenner nunca tinha jogado beisebol antes de pegar o papel.
  • Linklater baseou “quase tudo” em eventos que realmente aconteceram com ele, a grande exceção sendo um trote no final do filme envolvendo fita adesiva e uma cerca de madeira. Tanto que vários membros do seu time de beisebol da faculdade foram à estreia.
  • O elenco se referia a Linklater como “Rickipedia”, graças a sua impressionante memória para detalhes, tais como a data de lançamento de músicas específicas até a semana, mês e ano.

Everybody Wants Some!! também será exibido Sábado e Sexta-feira no SXSW antes de estrear nacionalmente no dia 1º de abril.

FONTE: Deadline

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

Foi divulgado hoje, pelo Traileraddict, uma compilação de imagens dos bastidores de “Everybody Wants Some!!”. Ao longo do vídeo, vemos Tyler e seus companheiros de elenco treinando beisebol e alguns bastidores das cenas. O filme estreia apenas dia 15 de abril no Brasil mas até lá, vamos nos divertindo com as divulgações!

Não deixem de conferir o vídeo!

 

 

 

 FONTE: Traileraddict

Hoje, dia 23 de abril, foi divulgado um novo trailer de “Everybody Wants Some!!”. Dessa vez, o trailer é em alemão, porém contem cenas inéditas. Infelizmente, não conseguimos traduzir o vídeo, mas não deixem de conferir as cenas inédias que o FILMESTARTS divulgou!

 


 

 

FONTE: FILMESTARTS

Com a intenção de ajudar na divulgação de “Everybody Wants Some!!”  a marca de cervejas Austin Bear em parceria com a rede de cinemas Drafthou lançou uma linha de cervejas inspiradas no filme. Abaixo, segue a matéria traduzida e adaptada pela nossa equipe!

Essa é discutivelmente a coisa mais Austiniana a acontecer em algum tempo. Uma rede de cinema de Austin fez uma parceria com uma cervejaria de Austin para produzir uma cerveja inspirada pelo cineasta favorito de Austin.

Introduzindo Everybody Wants Some, uma produção artesanal de Alamo Drafthouse e Austin Beerworks em homenagem ao filme de Richard Linklater com o mesmo nome. Essa nova cerveja refrescante marca a primeira vez em que essas duas forças locais fizeram parceria em um produto.

Everybody Wants Some é o nosso tipo favorito de cerveja: extremamente bebível enquanto continua sendo interessante”, diz o cervejeiro chefe da Austin Beerworks, William Golden, em um comunicado. Ele descreve a cerveja como tendo um sabor limpo, finalizado com toques de trigo, fruta e notas florais.

A cerveja chega às prateleiras de lojas selecionados na região de Austin e nas localidades da Texas Alamo Drafthouse em abril, coincidindo com a estreia do filme em 1º de abril. Everybody Wants Some tem sido chamada de sequência espiritual para o clássico cult de Linklater, Dazed and Confused. O novo filme narra sobre um grupo de jogadores de beisebol nos anos de 1980.

“Esse é definitivamente um filme para tomar cerveja – é uma grande parte daquele mundo de festas na faculdade,” diz Linklater no comunicado. “É lisonjeador e adequado que essas duas instituições no meu próprio quintal, Alamo Drafthouse e Austin Beerworks, se juntaram para celebrar a estreia de Everybody Wants Some dessa maneira. Beber uma lata de cerveja ou duas enquanto está assistindo o filme é certamente apropriado – mas você provavelmente deve resistir a qualquer desejo de atirar neles”.

Cerveja não é o único tributo local para o filme há muito esperado. Em homenagem a estreia do filme na SXSW, a Mondo Gallery está hospedando uma exposição inspirada em Linklater durante o festival.

FONTE: AUSTIN

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR