Os atores Blake Jenner, Tyler Hoechlin e Will Brittain deram uma entrevista ao site Boston Globe. Eles contaram histórias sobre o tempo que passam juntos durante as gravações de Everybody Wans Some!! e como foi trabalhar com o diretor Richard Linklater. Confira abaixo a entrevista completa;

Os atores Blake Jenner (Glee), Tyler Hoechlin (Teen Wolf) e Will Brittain se comportaram como colegas de equipe no AMC Boston Common na outra noite – dando tapinhas nas costas, contando piadas e contando algumas das mais ousadas histórias que eles coletaram durante seu tempo juntos. Os três interpretam jogadores de beisebol universitário na última comédia dos anos 80 do diretor Richard Linklater, “Everybody Wants Some!!” (O filme estreia dia 1º de abril em Boston).

O trio diz que o celebrado diretor merece todo o crédito pela camaradagem. Linklater é o “melhor técnico de todos os tempos”, Jenner disse. “Você quer estar por perto do que Linklater faz,” adicionou Brittain, em um distinto sotaque texano. “Você quer ser uma esponja perto dele.” Os três se encontram pela primeira vez na fazenda de Linklater no Texas, onde as preparações de pré-produção incluíram aulas de dança, beisebol, e uma lida profunda no roteiro de Linklater, que está sempre em desenvolvimento. “Foi tão inspirador ver as pessoas pegando seus personagens e trabalhando com eles, os aperfeiçoando, os moldando.”

Hoechlin disse durante uma entrevista no Eliot Hotel. “Isso começou a me informar sobre quem meu personagem era. Todo mundo continuou incentivando uns aos outros, e as performances continuaram crescendo.” Tendo chegado aqui de Phoenix, o trio planejou sair à noite em Boston, começando no Kings Boston e talvez algumas rodadas no Bleacher Bar. Já para o futuro, é óbvio que o time de atores espera se reunir com seu técnico favorito, mesmo que eles tenham que esperar um pouco. “Você olha para os filmes de ‘Antes’ [Antes do amanhecer, Antes do entardecer, e Antes da meia noite], [e você vê Linklater] indo a seu próprio tempo,” Jenner disse. “Isso mostra o quão paciente ele é, e mostra o quanto ele é um verdadeiro artista. Nós estamos todos obcecados com ele. Eu continuo tentando ligar para ele, mas ele não responde minhas chamadas. Esse pode ser a manchete? ‘Rick, o Blake precisa de você’.”

FONTE: BOSTON GLOBE

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

No Brasil, o filme está previsto para estrear em abril! Fiquem ligados no nosso site e para mais informações, sigam a Califórnia Filmes, a distribuidora brasileira do filme!

No começo dessa semana, o diretor e escritor do filme Everybody Wants Some!! concedeu uma entrevista a Playboy, onde contou o que o motivou a escrever o filme, como suas experiências da faculdade influenciaram e também conta como foi feita a escolha do elenco e se a pressão de escolher atores em alta, como Tyler Hoechlin, Blake Jenner e Glen Powell o atingiu de alguma forma.

Richard Linklater fala sobre Juventude, Beisebol e sua Fantasia dos anos 80 “Everybody Wants Some!!”

Falar com o diretor Richard Linklater pode ser muito parecido com experimentar um de seus filmes: intenso, experiência de cultura pop, muitas vezes doloridamente pessoal, um passeio altamente divertido onde a jornada é muito mais importante do que o destino. Alguns dos trabalhos mais conhecidos de Linklater – Slacker, Escola de Rock, Boyhood e a trilogia romântica que se iniciou em 1995 com Antes do Amanhecer – podem dar a sensação de estar com velhos amigos, encontrando com um amor perdido, vendo fotografias da infância.

Agora, você provavelmente ouviu ele chamar o seu mais novo, Everybody Wants Some!! (com dois pontos de exclamação, como o hino do Van Halen) uma “sequência espiritual” para Jovens, Loucos e Rebeldes, o clássico que está atingindo a maioridade que colocou Matthew McConaughey, Bem Affleck e Parker Posey no mapa. Como Jovens, Loucos e Rebeldes, que se passou em 1976, Everybody Wants Some!!, que se passa quatro anos depois, pode levar seus atores a grandes feitos. Blake Jenner, Tyler Hoechlin, Glen Powell e Wyatt Russel, juto com outros, interpretam jogadores de beisebol universitários atrás de glória, diversão, drogas, infernizar e mulheres. O filme é solto, divertido, nostálgico, sem trama – uma descarga de puro prazer.

O diretor e eu conversamos logo depois do filme ter feito sua estreia para grandes risadas, aplausos e críticas com “Ai, sim!” no SXSW na amada terra natal de Linklater, Austin, no Texas. Enquanto estávamos lá, nós também fotografamos Linklater e seu elenco com a Miss Abril 2010, Amy Leigh Andrews.

Com os seus atletas universitários atrás de universitárias, maconha, nostalgia e trilha sonora acertanda em cheio com Van Halen/Parliament/ZZ Top/Blondie, Everybody Wants Some!! Pega alguns de surpresa, especialmente depois do seu filme ganhador do Oscar Boyhood e a última parte da sua trilogia romântica, Antes da Meia-Noite.

Faz 10 anos que eu queria fazer Everybody Wants Some!!, e é o único filme que eu fiz onde o produto final se parece muito com o que senti. Não teria existido nessa forma sem Boyhood. Mesmo tendo sido feito com um estúdio, tivemos todos esses problemas financeiros. Eu tive que financiar a pré-produção eu mesmo ou ele não teria acontecido. Mas quando eu fiz meu primeiro ou segundo filme, eu estava namorando uma mulher que tinha um tio que era um cirurgião muito bem sucedido em Seattle e ele me deu um conselho que ficou comigo: “Pessoas gastam seu dinheiro com outras coisas. Sempre invista em você.” Então com Everybody Wants Some!! Eu pensei: Aqui está algo em que eu acredito e posso jogar o meu dinheiro, e eu tive sorte de ter. Eu não entendo esses atores ricos que não investem neles mesmos e ficam esperando que os outros paguem por tudo. Se você quer fazer um filme, invista nele. Se você quer dirigir, vá dirigir. Você tem que arriscar tudo e apostar em si mesmo.

O filme é visto através dos olhos de um jogador calouro [interpretado por Blake Jenner], um atleta quieto por fora, e mais sensível que os seus companheiros de time por dentro. Você jogou beisebol na universidade. O personagem de Jenner é uma versão sua?

O personagem de Jenner é meio similar com onde eu me encontrei na época em que eu era um calouro e em minoria nesse time que em grande parte eram alunos mais velhos intimidadores. Embora eu não esteja muito longe de uma crítica do comportamento de jovens homens nesse filme eu amo todos esses personagens. Eles são meio que uma mistura de antigos colegas de time, colegas de quarto e um pouco de mim mesmo. Eu estava meio que revisitando a noção de ser o cara novo se acostumando com um novo ambiente em muitos aspectos. Fazendo Jovens, Loucos e Rebeldes, eu tinha mais sentimentos controversos sobre o ensino médio e aquela era. Essa foi uma época muito difícil, algumas vezes, e teve dor e muita angústia. Mas esse filme é uma representação da liberdade. As coisas mais dolorosas são também meio que as mais incríveis e bonitas. Estar na faculdade naquele momento era sobre se afirmar, descobrir quem você era.

Quem você descobriu que era?

Eu olho para esses anos como muito divertidos. Você não tem que ir para a aula. Você não tem nem que ir para a faculdade. Você não tem que morar onde morou. Você pode definir quem você é por suas escolhas. Com quem você quer sair? Que boate você quer ir? Você quer beber todos os dias? Você tem que se casar? Blábláblá. O collegial é regulado e tem todas essas restrições ao seu redor. Universidade é com você. Para mim, era sobre as pessoas que você conhece, as novas ideias flutuando ao seu redor, os livros que você estava lendo, as músicas novas que você estava ouvindo quando o punk e new wave eram algo novo. Politicamente, nós estávamos no fim de uma certa era e no começo de todas as coisas que fizeram os anos 80 muito menos divertido. Eu meio que fui para o subterrâneo nos anos 80 e também nos meus gostos. Aquela foi a última vez que eu me alinhei com a cultura pop. A era do “Apenas Diga Não”? Nah.

E hoje?

Eu provavelmente não sou diferente de ninguém. Por um lado eu sou meio fora, por outro, eu estou ligado na mesma sintonia que qualquer um: “Ugh, o Trump é terrível, Ted Cruz é um…” Eu tenho os mesmos nojos fatais e preocupações que tantos têm.

Na grande tradição de filmes universitários – na grande tradição da universidade, ponto – seu filme tem algumas “situações sexuais” obscenas. Você estava preocupado em como as suas personagens femininas seriam vistas?

Claro que isso passa pela sua cabeça, mas é uma representação do mundo da porra de um cara. Os rapazes estão apenas perseguindo o rabo. Eu nem sei outra maneira de colocar isso. O herói eventualmente fica com a Beverly [interpretada por Zoey Deutch] e realmente tem uma conexão significativa com ela. Mas antes disso, tem as garotas festeiras, também que não estão procurando casamento. Como eu me lembro no final dos anos 70 e começo dos 80, essas mulheres também estavam experimentando o campo, experimentando com a sua própria liberdade. Tinha o tipo de mulher que simplesmente gostava do jeito que os caras ficavam nos seus uniformes de beisebol. Algumas delas passavam pelo time inteiro. Eu sempre peco para o lado da descrição honesta do que era naquela época.

Eu não ia me distanciar muito do que eu achei que era o ponto de vista honesto dos rapazes com relação às mulheres, do mesmo modo que eu estou meio que criticando o comportamento dos jovens rapazes, também.

Você se sentiu pressionado a escolher atores de series de TV ou atores com bastante seguidores nas mídias sociais? Tyler Hoechlin fez Teen Wolf, Blake Jenner fez Glee, e Glen Powell faz Scream Queens.

Em Hollywood, eles gostam de encontrar medidas como “Oh, esse ator tem esse tanto de seguidores no Twitter”, mas eu não acho que alguém já conseguiu fazer uma conexão entre seguidores no Instagram e Twitter e bilheteria. Para mim, pessoalmente, eu apenas perdi essa curva. Se você está tão disponível para todo mundo, então as pessoas deveriam pagar para passar uma noite com você no cinema? Existe tanto talento com atores jovens e únicos, tanta energia e tão poucos papéis desafiadores para todos eles. Ofereça uma parte que ofereça um certo grau de quem eles são e o que é único sobre eles e você está bem.

Você vê um McConaughey, Affleck ou outra grande revelação no elenco?

Quando nós estávamos fazendo Jovens, Loucos e Rebeldes o estúdio estava “Essas são todas pessoas que ninguém conhece.” Eu disse, “Mas eles são estrelas. Não é para isso que a maquina de fazer estrelas serve? Não é isso que estúdios fazem?” Eu não estou brincando, todos os atores em Everybody Wants Some!! trouxeram mais do que eu jamais poderia ter imaginado. Todos eles se conectaram como um time para trazer o melhor de cada um. Eles moraram juntos, jogaram e ensaiaram por diversas semanas e passaram a conhecer uns aos outros e esses personagens tão bem que eles apareciam com novas falas e coisas novas. Seis dos rapazes tinham partes pouco escritas mas eu quis aumentar essas partes pequenas e elas cresceram e se tornaram mais especiais e mais únicas. Elas aconteceram por causa da dinâmica entre os rapazes que tinham partes maiores. Eles foram muito generosos.

Quando você fez Jovens, Loucos e Rebeldes em 1993, uma maneira que você manteve os seu elenco na época foi através de mixtapes que você fez para eles. Como você colocou esse elenco nos anos 80?

Foi uma imersão total. Eu dei para todos eles um iPod com, provavelmente, 80 músicas e eu tinha uma relação pessoal com cada uma delas. Assim como em Everybody Wants Some!! eu dirigia por ai com caras fazendo “Rapper’s Delight” e passando o microfone quando isso era revolucionário. Eu compartilhei muitas dessas fotos com os atores, mostrando para eles o que as pessoas estavam procurando. Nós assistimos filmes da época de 79 e 80 como O Vencedor, só para que eles soubessem o que estava no ar. Eu também mostrei para eles No No: A Dockumentary sobre [arremessador do Pittsburgh Pirates] Dock Ellis que cobriu o que o jogo parecia naquela época do atleta irreverente com atitude, o que, é claro, é desencorajado nos dias de hoje. Eu fui determinado: “Não – nada de bater punhos, nada de ‘bros’, porque as pessoas não faziam isso.” Eu tive que guiá-los, e eles precisaram de muitas coisas específicas, mas eles realmente entraram nisso. Eles fizeram aula de dança country e disco. Dança disco era muito sexual e obscena, como preliminares. Não é mais assim hoje, quando as pessoas dançam sozinhas. Os atores ficavam falando, “Isso é muito divertido”.

O filme é divertido, também, mas tem um puxão de nostalgia nele – um senso de que, para alguns desses caras, nunca vai ser tão bom quanto isso. Eu ficava pensando na letra do James Brown, “Dinheiro não vai mudar você, mas o tempo vai pegar você.”

Isso é bem certeiro. Também é bem certeiro de James Brown. Talvez um título melhor para esse filme seja Todo Mundo quer Tudo. Quando você é jovem, você não somente quer tudo; você sente que tem direito a tudo, que é seu para ter e que todas as suas paixões vão ser atendidas pelo mundo. Ficar mais velho é descobrir que você consegue apenas uma porcentagem do que você quer.

Todos os caras nesse filme eram os melhores atletas no playground, os melhores nas suas escolas, que é como eles chegaram onde estão na faculdade. Você pode ser um aluno comum, comum em qualquer área, mas se você é um atleta, você é elevado em sua cultura imediata. Isso cria uma vanglória e um direito. Você é tratado de uma certa maneira. Alguns dos meus amigos continuaram a jogar bola, viraram profissionais, e continuaram indo, mas tudo isso acaba quando você chega, vamos dizer, nos 30. Para outros, terminou mais cedo. Tem uma tristeza nesse ajuste, a realização de que o mundo não se importa com o que acontece com eles depois. Eu não acho que a maior parte dos atletas está pronto para isso. É como, “Onde tudo isso leva?” Mas a sua vida de verdade não começa até que sua vida como atleta acabe.

Você viu isso acontecer de perto com pessoas que eram seus colegas de time na faculdade?

Eu pai jogava bola na faculdade e ele tem amigos que também jogavam. Um deles jogou para o Bear Bryant. Eles ainda andam se vangloriando. Eles entram em um cinema e ficam “Oh, não, nós não pagamos”, ou tipo, “Vai se foder, eu joguei para o Bear Bryant”. Eu olho para isso e penso, bem, você pode meio que levar isso para o túmulo. Também pode te destruir, no entanto, sentir que você nunca vai ser capaz de ser tão bom quanto aquilo de novo. Todo mundo é diferente.

O filme mostra um grande amor por beisebol. Você sente pelo jogo o mesmo que sentia quando era um jogador mais novo?

Não, e é engraçado como coisas que eram tão importantes para você em um ponto da sua vida deixam de ser.

Como você está experimentando ficar mais velho?

Eu estou nos meus cinquenta agora. Eu sou mais sensível à vida. É mais poético, mais bonito, um pouco mais comovente. Eu estou super ciente da parte do tempo. Eu fico todo agradecido e tocado sobre as coisas. Fica mais profundo e mais interessante, mais misterioso. Eu tenho sorte que eu tenho uma vida nas artes. Eu não estou “lutando pela generosidade legal,” como escreveu Jackson Browne. Eu estou na porcentagem de pessoas sortudas que faz exatamente o que ele queria fazer.

FONTE: PLAYBOY

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

No Brasil, o filme está previsto para estrear em abril! Fiquem ligados no nosso site e para mais informações, sigam a Califórnia Filmes, a distribuidora brasileira do filme!

Tyler Hoeclhin e seus colegas de elenco  do filme Everubody Wants Some!! concederam uma entrevista ao site Thelantern, onde contaram um pouco sobre onde e como buscaram inspiração para interpretar seus personagens e em como seus personagens estão relacionados com suas experiências pessoais.

Confiram a matéria traduzida e adaptada pela nossa equipe.

No Brasil, o filme está previsto para estrear em abril! Fiquem ligados no nosso site e para mais informações, sigam a Califórnia Filmes, a distribuidora brasileira do filme!

Everybody Wants Some!! – Atores discutem experiências pessoais e filmes clássicos

Se todo mundo realmente quer um pouco, eles conseguem.

Três dos atores do novo filme da Paramount, “Everybody Wants Some!” vieram para o Columbus na segunda feira para uma exibição do filme no Geteway Film Center e para uma festa na Ugly Tuna Saloona.

O filme é dirigido por Richard Linklater, que também dirigiu “Boyhood”, “Sujou…Chegaram os Bears” e “Jovens, Loucos e Rebeldes”. Se passa em 1980 em uma universidade no Texas durante um fim de semana antes das aulas começarem. O filme levado por seus personagens centraliza-se em uma casa cheia de jogadores de beisebol que estão mais focados em seu esporte, em festejar e em garotas, do que seu trabalho escolar.

Jake, interpretado por Blake Jenner, é um novato no time de beisebol da escola que muda para a casa e aprende a navegar pelas personalidades de seus companheiros de equipe e descobre o que é a vida de faculdade.

O próprio Jenner se formou um ano mais cedo do ensino médio, e decidiu pular a experiência de faculdade para se mudar para Los Angeles. Tendo trabalhado no cenário de ensino médio em “Glee”, Jenner disse que ele sempre teve inveja daqueles que tiveram uma experiência universitária autêntica.

“Eu perguntava para as pessoas ‘como foi a faculdade’ não só para esse filme, mas antes mesmo eu perguntava só por pura curiosidade,” ele disse.

Jenner descreveu a experiência de fazer parte desse filme como “o fim de semana antes da faculdade que nunca tive.”

“Isso meio que preencheu um vazio para mim,” ele disse.

Interpretar um dos lideres do time de beisebol não foi muito difícil para o ator Tyler Hoechlin, que jogou beisebol na faculdade. Ele disse que houve alguns paralelos de sua real experiência na vida universitária no filme.

“A química e a camaradagem entre os rapazes é o que eu acho que é o mais similar,” ele disse.

Hoechlin também contou que ele se divertiu nas festas tanto quanto os personagens no filme, mas elas não eram tão loucas.

“Há um pouco mais de senso de consequência de suas ações nos dias de hoje, especialmente com câmeras de celulares e redes sociais. E apenas o senso geral de que a policia está em algum lugar próximo,” Hoechlin disse com uma risada.

Will Brittain interpreta Billy Autrey, que divide o quarto com o personagem de Jenner. Tendo feito papéis em filmes mais sérios como “The Teacher” e a série de televisão “Lila & Eve” no passado, “Everybody Wants Some!” é a primeira comédia em que Brittain atuou. Sendo novo na comédia, ele disse que tinha de onde tirar experiência para interpretar seu personagem, um cuspidor de tabaco, que usa botas de cowboy, um real garoto do sul com sotaque carregado.

“Eu cresci em uma pequena cidade no Texas e eu fui exposto a vários personagens como este, então só meio que veio naturalmente quando eu li o roteiro,” disse Brittain. “Pareceu funcionar, todos os rapazes caíram nessa.”

No filme, o personagem de Jenner, Jake, sofre para encontrar seu lugar depois de ter sido um dos melhores jogadores em sua escola para ser um pequeno peixe no grande lago que é o time de beisebol universitário. Jenner disse que sua mudança para Los Angeles depois do ensino médio assemelha-se a mudança de seu personagem para a universidade no filme.

“Mudar para LA para atuar, você definitivamente tem esse sentimento” ele disse. “Você vai lá com positividade e você fica tipo, ‘Sim isso vai funcionar, ele estão distribuindo pilotos, eu vou ser muito bom,’ mas então você está trabalhando em um Johnny Rockets ou algo assim, ‘Tudo bem, seremos pacientes.’”

Brittain também disse que ele identifica com o personagem de Jake e ficou um pouco intimidado com o elenco no começo.

“Eu me senti assim quando eu ganhei o papel, eu olhava em volta tipo ‘Wow, todo mundo é tão talentoso,’” Brittain disse.

Mas os atores concordaram que o filme combinou bem com as qualidades do elenco, formando um conjunto forte.

“Juntos nós somos tipo os planetas em ‘Capitão Planeta’ e (o diretor Richard Linklater) era o capitão. Nós salvamos o mundo com esse filme,” Jenner disse do elenco brincando.

O filme é divulgado como a “Sequência espiritual de ‘Jovens, Loucos e Rebeldes’” muitas vezes descrito como um filme clássico. O tempo dirá se “Everybody Wants Some!” conseguirá o status de clássico, mas os atores acham que ele tem alguns dos elementos necessários.

“Os fãs do filme são os que fazem ele ser clássico, e só o quão dedicados estes fãs são para o filme e seus personagens,” Brittain disse. “Eu acho que esse filme tem tantos personagens tão legais e divertidos que você só vai querer ficar com eles e assisti-los daqui a vários anos, como voltar e visitar um velho amigo.”

Jenner disse que o que torna um filme clássico é a sua capacidade de agradar uma grande audiência.

“Eu acho que é o aspecto atemporal dele,” ele disse. “Um jovem de 18 anos (pode assistir ao filme) e ele vai se divertir assistindo ele, ou meu pai que é o cara mais estônico do mundo… ele não sorri por nada, mas fica feliz assistindo ao filme.”

Hoechlin também disse que a conexão com a audiência é importante para manter o filme vivo daqui a vários anos.

“Tem essa coisa de conexão que você pode esbarrar em alguém alguma hora e se vocês dois tiverem assistido ao filme, há tantas coisas diferentes sobre as quais vocês podem conversar,” Hoechlin disse.

Jenner adicionou com uma risada, “E o Tyler usando shorts jeans curtos é o que vai ajudar o filme a durar anos e anos.”

“Everybody Wants Some!! “ É classificado para maiores de 18 anos e estreia dia 1 de abril nos cinemas.

FONTE: Thelantern

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

TYLER HOECHLIN NO DESFLIE DA FUNKSHION

Postado por Débora em 29/03

O FUNKSHION: Fashion Week Miami Beach é um evento de quatro dias de duração que proporciona uma inteligente, inovadora plataforma para os designers progressistas, estáveis e novos no mercado apresentarem suas coleções para mídia, celebridades, compradores internacionais, e criadores de estilo. O show tem como foco designers com coleções diferentes e marcas que promovem estilos de vida inovadores. Designers vão integrar música no seu show, vários escolhem pessoalmente seus DJs celebridades favoritos para participarem de seus desfiles espetaculares.

Como em toda temporada, FUNKSHION: Fashion Week Miami Beach dá apoio a novos designers com nosso Prêmio Designer Revelação. O painel de jurados é composto pela elite da mídia, VIPs da indústria, designers, celebridades e membros do Fashion Group International. O Fashion Group International vai premiar um ganhador essa honra prestigiosa com a oportunidade de apresentar sua coleção no Funkshion: Fashion Week Milan in Italy. A competição vai ser apresentada pela Nespresso.

Como uma forma de promover Everybody Wants Some!!, o elenco do filme participou do desfile durante o terceiro dia do evento, abrindo a passarela da coleção inspirada no filme.

No Brasil, o filme está previsto para estrear em abril! Fiquem ligados no nosso site e para mais informações, sigam a Califórnia Filmes, a distribuidora brasileira do filme!

 

 

 

FONTE: Funkshion Fashion Week

TRADUÇÃO ADAPTAÇÃO: Equipe THBR

O elenco de Everybody Wants Some!! está fazendo uma turnê de impressa para divulgar seu filme. E durante o intervalo durante a gravação de uma entrevista em uma rádio de Boston, Will Brittain decidiu descontrair seus amigos e testou a densidade dos músculos abdominais de Tyler Hoechlin. Confiram o resultado no vídeo abaixo, é simplesmente hilário!

No Brasil, Everybody Wants Some!! estreia dia 15 de abril.

 

TRADUÇÃO & LEGENDA: Equipe THBR

Após ter sua previsão de lançamento adiada, finalmente o filme chegará aos telões mundiais. O drama que está na fase de pós-produção desde 2013, acaba ter seus direitos visuais vendidos e ao que tudo indica, será lançando ainda em 2016.

Exclusivo: Vertical Entertaiment adquiriu os direitos mundiais para o drama de beisebol Undrafted do escritor-diretor Joseph Mazzello. Uma visão romanceada das experiências do irmão de Mazzello, a história examina como alguém segue em frente após uma decepção esmagadora ao acompanhar uma estrela do beisebol universitário que teve seus sonhos de jogar na liga principal frustrados quando ele é ignorado na seleção da Liga Principal de Beisebol.

Anunciado pela primeira vez em 2013, Undrafted é a estreia de Mazzello como diretor. “Eu estou emocionado de estar fazendo essa parceria com a Vertical para distribuir Undrafted ao redor do globo,” disse o cineasta Mazzello. “Eu mal posso esperar para que o mundo veja esse filme, e o ame da mesma maneira que todos nós amamos,” ele diz. “Graças a Vertical isso irá em breve se tornar uma realidade”.

Undrafted estrela Aaron Tveit (visto recentemente em Grease Live! da FOX) como o personagem principal, junto com Chace Crawford, Joseph Mazzello, Tyler Hoechlin, Philip Winchester, Billy Gardell e James Belushi. De Dead Fish Films e Parlay  Pictures, é produzido por Eric Fischer, Brianna Lee Johnson e Joseph Mazzello, e como produtores executivos Chace Crawford e Tony Romo.

Cinematografia é por Adrian Correia, com edição por Sharon Rutter. O acordo foi negociado por Rich Goldberg, co-presidente, e Peter Jarowey, vice presidente da Acquisitions, na Vertical, com Kevin Iwashina e Adam Galen da Preferred Content e Eric Podwall da Podwall Entertainment em nome dos cineastas.

Undrafted é o quinto título que a Vertical obteve os direitos mundiais nos últimos meses, e a empresa tem outros três filmes a caminho em 2016, incluindo o suspense de ficção científica Terminus, o filme Frank and Cindy dirigido por G.J. Echternkamp e estrelando Rene Russo e Oliver Platt, e o terror de Sundance de Babak Anvari Under the Shadow que está sendo divulgado em parceria com XYZ.

 

Confiram o vídeo abaixo, onde os atores falam um pouco mais sobre o filme!

FONTE: DeadLine.com

TRADUÇÃO & ADAPTAÇÃO: Equipe THBR