Tyler Hoechlin provoca sobre o super confronto no episódio final de Supergirl



A Garota de Aço (Melissa Benoist) vai enfrentar o seu confronto mais difícil até agora no episódio final da temporada de Supergirl quando seu primo Clark Kent, mais conhecido como Super-Homem (Tyler Hoechlin) de algum modo se tornou mau. Devido à invasão de Daxamite à Terra, Kara foi confrontar Rhea (Teri Hatcher) apenas para descobrir que a rainha Daxamite tinha um truque na manga que parece envolver forçar o Clark a ser do mau. O que está acontecendo? O EW procurou Hoechlin para descobrir.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Você pode falar sobre o porquê do Super-Homem ter repentinamente se voltado contra Kara? Ele está sobre o controle de Rhea?

TYLER HOECHLIN: Rhea é complicada, então tem sempre a chance de que ela está por trás de algo.

Como isso irá afetar o Clark emocionalmente sendo colocado contra Kara?

Qualquer momento que você se encontra se preparando para lutar contra alguém que é família, é um pouco mais do que prejudicial. Mas isso é algo que você vai ter que esperar para descobrir; é um pouco mais complicado do que parece.

O que você pode falar sobre o confronto épico entre o Super-Homem e a Supergirl?

Será definitivamente épico. Esses caras fizeram um trabalho incrível com isso. Eles estão chamando de batalha do século, e eles realmente queriam ter certeza que seria assim. Nós não seguramos nenhum soco. Foi muito divertido. Eu acho que vai ser muito divertido para as pessoas os verem um contra o outro, e não apenas lutando juntos.

Quão difícil foi filmar essa cena de luta gigante?

Por sorte eu tinha um pouco de prática com cenas de luta em noites de frio. Não foi a primeira vez. Toda a nossa equipe – o pessoal de dublê – fez um trabalho incrível. É uma daquelas coisas que normalmente se for mais desconfortável de filmar, fica muito melhor de ver e é muito mais divertido assistir. É sempre um pensamento reconfortante quando você está sendo jogado de um lado para o outro e se perguntando quanto tempo mais ainda tem, você sabe que será muito melhor.

Com o Clark a solta, nós deveríamos nos preocupar com o resto da família de Kara?

Eu acho que tem razões para se preocupar com todo mundo no último episódio.

Como você acha que o Clark se sentiria se ele soubesse que a Kara se juntou com Cadmus?

Isso é algo que eu dou ao Clark crédito o suficiente para julgar aquela situação em particular. É interessante que algumas vezes é preciso se juntar com velhos inimigos para alcançar algo que precisa ser alcançado. Quanto mais tempo se passa nesses cenários, mais se percebe que as coisas não são tão preto no branco; tem muito cinza no meio que você tem que avaliar algumas vezes.

 General Zod também vai aparecer no último episódio. Quando você aceitou esse papel, você estava esperando algo assim?

Honestamente, eu não sei o que eu estava esperando, mas ver isso aparecer tão rapidamente no roteiro, eu pensei “Isso é muito legal!” Foi definitivamente uma boa surpresa ver um inimigo desses aparecer tão cedo.

Algo que você pode dizer sobre como a história do Zod pode ser diferente do que já vimos no passado?

Vou ser sincero, eu não vi nenhuma das batalhar do Super-Homem com o Zod, mas eu posso prometer que vai ser diferente; isso eu posso dizer. Eu não tenho certeza sobre como dizer que é, mas você vai saber o que eu quero dizer quando ver.

Você finalmente contracenou com Dean Cain?

Eu não sei se eu posso dizer isso ou não. Não posso. [Risadas] Vou dar minha resposta padrão: Você vai ter que esperar para ver.

Você entrou em Supergirl na estreia da temporada. Como você acha que o final se compara com a primeira vez que o Clark apareceu?

Eu diria que é diferente pelo fato que da primeira vez que eu apareci na estreia, nós estávamos nos estabelecendo em um novo lugar, e encontrando um novo lugar de onde partir essa temporada, então foi Clark sendo introduzido nesse mundo. Parecia que todo mundo estava meio que encontrando alguma coisa. Ao passo que dessa vez, ele está voltando para uma situação em que eles estavam lidando com um inimigo por um tempo, e está ficando um pouco pesado. Não tem necessariamente a mesma vivacidade do começo de estar animado para um novo emprego, e todas essas coisas que aconteciam com a Kara em seu mundo. É lidar com a tarefa em mãos, então é uma sensação diferente nesse sentido.

Tem algo novo que você fez dessa vez?

Nós fizemos bastante coisas da primeira vez. Tiveram algumas, mas eu acredito que são todas coisas que eu não posso te contar. É engraçado, eu não fazia entrevistas há algum tempo, então estou lembrando como eu frequentemente tinha que dizer, “Sim, mas eu não posso falar nada.” [Risadas]

O episódio final pelo menos deixa uma abertura para o Clark voltar?

Vou dizer isso: se ele estiver vivo no final de tudo, então eu adoro pensar que existe uma possibilidade dele voltar.

O que você aprendeu interpretando esse personagem?

Eu aprendi sobre o Clark que ele é muito divertido, e tem um coração enorme. É divertido entrar em um personagem que você tem toda essa ideia de que sua meta principal é ajudar pessoas, estar lá para tudo que elas precisarem. Poder interpretar esse personagem sem tentar encontrar um modo de comprometer isso, e apenas permitindo que isso seja completamente verdadeiro, interpretar qualquer outro personagem humano, é difícil se comprometer sem mentir um pouco. Nós tentamos o nosso melhor, mas não necessariamente somos sucedidos do mesmo modo que ele é.

Para mim, como ator, eu aprendi a não temer criticas e criticar o que você vai fazer. Obviamente, esse é papel mais icônico que já interpretei como ator, e teria sido muito fácil me sentir pressionado ou sentir que eu deveria fazer isso de uma certa maneira para deixar as pessoas felizes. Eu acho que no final de tudo, eu, Greg [Berlanti] e Andrew [Kreisberg], nos sentimos muito confiantes com o que nós queríamos fazer e o que nós sentíamos que o fazia especial e seguimos com isso, e deu certo. Algumas pessoas não odiaram. Foi uma boa experiência como ator perceber que você pode fazer escolhas algumas vezes sem ter que pensar muito sobre o que as outras pessoas vão pensar sobre aquilo, se eles vão criticar, só tenha fé em sua visão e siga em frente.

Os Luthors são bem predominantes no final da temporada. Nós vamos ter um pouquinho do que o Clark sente por eles e sobre Kara tê-los em sua vida?

Você vai saber como o Clark se sente sobre muitas pessoas na vida de Kara nesse episódio, então os Luthors definitivamente entraram nessa lista, e eu tenho certeza que eles não ficarão de fora.

 Tradução e Adaptação – Equipe THBR

Fonte: Entertainment Weekly

Todos os direitos reservados 2012 - 2017 © hoechlinbrasil.com.br
Layout por Ana Liziane